Olha a história… é verdade!!!

Conheça a origem das festas juninas

Dificilmente, não há quem resista às comidas típicas e quem não aprecie uma bela quadrilha, não é mesmo? Mas você sabe como surgiram as festas juninas? A origem dessas festas antecede a era cristã. Rituais profanos eram celebrados no hemisfério norte durante o solstício de verão, em que há o dia mais longo e a noite mais curta do ano. Alguns povos, como os celtas e os egípcios, aproveitavam para pedir aos deuses fartura nas colheitas.

A festa junina, porém, ganha cunho religioso quando a Igreja Católica consegue conter os cultos pagãos à fertilidade que aconteciam no século 10 e os torna cristãos, relacionando as festividades a três santos do mês de junho: Santo Antônio (13), São João Batista (24) e São Pedro (29).

No Brasil, antes da chegada dos portugueses, os índios também realizavam cultos importantes no mesmo período, festejando a agricultura com cantos, danças e muita comida. Com a colonização os costumes indígenas se fundiram ao caráter religioso, por isso hoje há tanto comemorações ligadas aos santos, quanto comidas típicas. Já a valorização da vida caipira ganha força no século 20, quando 70% da população vivia no campo.

Aos poucos, a festa ganhou todo o território nacional e se incorporou à cultura popular. Hoje, durante um mês, várias comemorações são feitas e disputas acirradas são realizadas para eleger os melhores grupos de quadrilhas. Além disso, brincadeiras como pau de sebo, correio elegante, fogos de artifício e casamento na roça, por exemplo, animam mais ainda as festividades. Conheça, também, a origem de alguns símbolos das festas juninas:

Fogueira – No início, a fogueira homenageava deuses pagãos, mas ganhou uma explicação cristã: Isabel disse a Maria que quando São João nascesse acenderia uma fogueira para avisá-la. Maria viu as chamas de longe e foi visitar a criança recém-nascida.

Quadrilha – A dança foi inspirada em uma tradicional dança de salão francesa, na qual, em pares, os dançarinos faziam uma sequência coreografada de movimentos alegres. Trazida por nobres portugueses, foi sendo adaptada até se popularizar.

Música – No nordeste as composições de Luiz Gonzaga são as mais famosas. Já no Sudeste, o que faz sucesso vem de João de Barro, Adalberto Ribeiro e Lamartine Babo.

Simpatias – Os santos homenageados inspiram simpatias. Acredita-se que os balões levam pedidos para São João, que Santo Antônio é casamenteiro e que São Pedro ajudará a alcançar causas difíceis.